Resenha | Spirit (Série Elemental Livro 3)

Olá!
Esse post faz parte das minhas leituras de SETEMBRO 2018.

brigid kemmerer resenha spirit espírito

Continue lendo para conferir a resenha completa!


SPIRIT (ESPÍRITO) – Brigid Kemmerer

SPIRIT-KEMMERER-RepackLeia SPIRIT no tablet ou smartphone com o app Kindle.


Título original: SPIRIT, 2012.
Versão lida: Em INGLÊS, versão e-book Kindle. (Até onde pude pesquisar, não há versão traduzida para o português à venda.)

Esse livro é o volume número 3 da saga Elemental (traduz-se como Elementar).

Obs; Desculpe pelas fotos feias, mas estou de cama com a perna numa tala e não posso tirar as fotos como costumo fazer. :C

A autora

18853SK1492490903G

Há poucas informações sobre Brigid Kemmerer online. Sabe-se que ela é de Nebraska nos EUA, e mora em Maryland com o marido e quatro filhos.

Seu romance AOS PERDIDOS, COM AMOR é o primeiro lançado em português no Brasil, e é o livro que antecede MORE THAN WE CAN TELL. Ela escreveu também THICKER THAN WATER, 2015, um romance paranormal New Adult, e a série ELEMENTAL, 2012, que conta com cinco livros e três contos. A série também fala de elementos paranormais e romance.

O livro

O poder sempre vem acompanhado de inimigos. Muitos deles.

Hunter Garrity só quer ser deixado em paz. Ele aprendeu do jeito mais difícil que suas habilidades incomuns tem um preço, e não parece conseguir reunir muitos aliados. 

Ele está até o pescoço com pessoas hostis. Seu avô, sempre procurando uma briga. Os irmãos Merrick, que pensam que ele os denunciou. Calla, uma psicopata que pretende usa-lo como isca. E tem também Kate Sullivan, a garota nova na escola. Ela não é hostil. É corajosa, engraçada, linda. Mas ela também tem segundas intenções. 

Com supostos poderes secretos pipocando a todo momento, Hunter sabe que algo ruim está para acontecer na cidade. Mas descobrir o que também quer dizer decidir em quem ele realmente pode confiar… 

Os irmãos Merrick podem controlar os elementos. E Hunter Garrity, um Elemental do espírito pode completar com eles o círculo de poder perfeito.

Antes de ler essa resenha, te aconselho a ler as resenhas dos primeiro livros da série, STORM e SPARK. Neles o mundo dos irmãos Merrick e dos Elementais é apresentado em detalhes, introduzindo melhor o que está por vir.

Porém, não posso deixar de comentar em termos gerais do que se trata a série, para refrescar a memória.

Os irmãos Merrick, Michael – o mais velho – Nick e Gabriel – os gêmeos – e Chris – o mais novo, fazem parte de um mundo no qual algumas pessoas nascem com dons muito especiais, onde possuem grande afinidade com um dos elementos da natureza, – água, fogo, ar, terra e espírito – dons esses que podem desenvolver para eventualmente serem capazes de controlar completamente o elemento, e retirar dele forças para fazer coisas extraordinárias.

Há também nesse mundo os Guias, que são os Elementais do Espírito, treinados desde a infância para eliminar Elementais muito poderosos que causem problemas, desastres, mortes, etc.

Pois bem, no primeiro livro da série, STORM, conhecemos a trama, e vemos o mundo através dos olhos de Chris, o mais novo dos Merrick, um Elemental da Água. No segundo livro da série SPARK passamos a conhecer o mundo através dos olhos de Gabriel, um dos gêmeos, e Elemental do Fogo. Nesse livro, o terceiro, acompanhamos o desenrolar da trama juntamente com HUNTER.

Hunter.

Hunter Garrity já figurinha carimbada nessa série desde o primeiro livro, então não é surpresa que ele ganhe um livro só seu. Além disso, seu poder de Elemental do quinto elemento, o Espírito, o torna parte imprescindível para contar a história dos irmãos Merrick e dos Elementais. 

O pobre Hunter não teve muita sorte com os acontecimentos que precedem SPIRIT, e sinto dizer que sua sorte não parece querer mudar, por enquanto. Se no primeiro livro sua paixonite por Becca o coloca frente a frente com revelações do passado de sua família e novas conexões forjadas com base nos segredos sobre a comunidade de Elementais que os protagonistas da série carregam; no segundo livro, SPARK, Hunter ganha alguns momentos de destaque, mas novamente dá com a cara contra a parede quando ele e Gabriel arriscam definir o início de uma amizade, mas acabam por transformar toda a energia agregada entre o grupo em muita animosidade.

No fim das contas, acho justo que boa parte da culpa para a má sorte de Hunter deva ser colocada na sua necessidade de manter segredos. Eu já havia mencionado algo similar na segunda resenha, quando falava da relação entre Gabriel e os irmãos.

Hunter se sente sozinho, enfrenta problemas em todos os aspectos de sua vida, e ainda está lidando com a morte do pai, acontecimento que nunca conseguiu superar ou mesmo entender por completo. Por causa disso, ou até mesmo, juntamente com esses fatores, ele decide que o melhor para si é manter uma distância emocional de todos a sua volta, e se isolar para não ter que lidar com a realidade.

Logo no início, sentimos que ele se sente muito injustiçado pela etiqueta de traidor que os Merrick colaram nele – os fatos que levam à esse momento ficam difíceis de explicar aqui sem dar spoilers. Mas digamos que Hunter estava com a faca e o queijo na mão, e fica muito difícil acreditar em sua palavra quando ele mantém tantos outros assuntos em segredo o tempo todo.

brigid kemmerer resenha spirit espírito

Pois bem. Isolado de todos, Hunter volta sua atenção para uma menina nova na escola que apareceu de repente e o pegou de surpresa. Além de linda, Kate tem uma personalidade forte, algo determinante para chamar a atenção de Hunter.

Kate, como ela mesmo conta logo no início do livro, também é uma Elemental do quinto elemento, e ao contrário de Hunter, teve que passar pelo treinamento completo para aprender a livrar o mundo de Elementais perigosos. Ela aprendeu a matar, enganar e ignorar seus sentimentos com relação a tudo, certa de que estava fazendo o que era “melhor para o mundo”.

Kate chega à cidade acompanhada de Silver, o Guia encarregado de tentar mais uma vez eliminar os Elementais que parecem aterrorizar aquela cidade nos últimos meses. Ela está em sua primeira missão de verdade, e como foi bem treinada, não apenas sabe como “omitir” sua energia para que os Elementais não detectem sua habilidade, como  também sabe que deve seguir as ordens do Guia para se tornar uma Guia no futuro, assim como sua mãe foi.

Enquanto isso em casa, Hunter trava uma batalha psicológica de dar pena.

A mãe, após perder o marido, trouxe o filho para morar com seus pais, e apesar de esse parecer ser um bom plano inicial, a mulher não dá sinais de que pode seguir com a própria vida. Está totalmente isolada, não quer saber de nada, tampouco do filho.

O avô de Hunter, que acabou por tomar todas as novas responsabilidades para si, parece determinado a provar que ele é um garoto ruim, que só causa problemas para a mãe e para a família, e que nada que ele faça está certo. Os diálogos entre os dois são dolorosos, e espero que no futuro a relação seja de alguma forma remediada, afinal foi a última figura paterna que sobrou para o garoto.

Hunter, apesar de não ter sido treinado formalmente para ser um Guia, tem muito conhecimento sobre a realidade da comunidade de Elementais e suas regras. O que ele não sabe é como é cruel o destino de um jovem Elementar do Espírito, que perde totalmente a liberdade de ser quem quiser ser em função da responsabilidade de ser um Guia.

Durante sua jornada para ajudar os Merrick a não serem culpados pelos atos criminosos pelos quais estão sendo constantemente acusados, Hunter descobre muito sobre si mesmo, sobre seu pai, sobre a vida de um Guia e principalmente, sobre a sorte que teve em não ter sido obrigado a viver aquilo como Kate foi. Mas isso não o impede, a princípio, de descarregar muitos de seus problemas e agressão nos Merrick, que aparte de Michael, o mais velho, não parecem nem um pouco preocupados com o destino dos Elementais da cidade, por que sabem que juntos são mais fortes que todos os que são mandados para mata-los, e que não há sentido em fugir se eles podem ser encontrados e acusados em qualquer lugar.

Michael, mais maduro e sensível com relação a realidade da situação dos Elementais na cidade, estende uma mão a Hunter, e esse é só um dos momentos que me faz sentir ansiedade pelo livro que vai contar a história através dos olhos dele. Sinto que poderá potencialmente se tornar o meu favorito.

A jornada de Hunter tem começo, meio e quase fim nesse livro, o que é um alívio.

O processo traumático pelo qual passam esses personagens deixam  o leitor com o coração na mão, principalmente quando vemos os garotos como vítimas de um sistema montado a muito tempo, que não permite muitas opiniões ou mudanças. Mas é bom sentir que a jornada de Hunter permite à ele um segundo de descanso dentre os tantos momentos erráticos e assustadores que o cercam desde o primeiro livro.

Acho que arredondando o raciocínio, esse é um bom livro que dá continuidade a história de forma honesta e bem escrita, salvaguardando o fato de que sempre vão haver comparações entre livros de uma série, e mesmo dentre livros de uma mesma autora.

SPIRIT desenvolve um pouco mais as nuances e segredos que envolvem os poderes Elementais, mas seu foco é mesmo a jornada de Hunter em relação a tudo que acontece à sua volta, e dada a realidade do personagem naquele momento, achei que a decisão foi justa. Mesmo levando em conta a violência da série que é constante e crescente. 

Minha única nota seria que durante os dois primeiros livros, em ao menos uma das muitas vezes em que a vida de Hunter é explorada em diálogo, pudéssemos ter sido levemente alertados para o que realmente acontecia com ele. O tamanho da surpresa ao me deparar com a realidade do garoto me fez puxar pela memória para ver se eu tinha passado batido nos momentos anteriores quando ele mencionou a família, algum detalhe que demonstrasse o que estava por vir, mas não encontrei nada. Caso houvesse, a transição teria sido menos forçada. Mas novamente, nada que comprometa a qualidade da leitura.

Sigo com a leitura do livro SECRET, o próximo da série que promete revelar ainda mais sobre esse incrível universo de poderes sobrenaturais.

Siga o blog para não perder as próximas resenhas!


SPIRIT-KEMMERER-RepackLeia SPIRIT no tablet ou smartphone com o app Kindle.


Obrigada pela visita e volte sempre!

modeloassinatura


Alba quer cumprir uma lista de aventuras, e para isso convocou os amigos. E você também está convidado!

Sinopse e link aqui!

elencodossonhosminhalista

Anúncios

Um comentário sobre “Resenha | Spirit (Série Elemental Livro 3)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s